sexta-feira, setembro 14, 2007

Fragmentos


Blues ao fundo

Ele Pink Floyd, ela Billy Holliday.
Ele Elvis Costelo, ela Nina Simone.
Ele Talking Heads, ela Chet Baker.

Ele frases de efeito,
ela dito e feito.

ºººººººººº
. Tenho uma amiga que recortava estrelas para colar na parede. Ela mesma era uma delas.

. Detesto pobreza de espírito e a definição disso é minha particular. Pode ser que eu ache você um milionário. Pode ser que não. Só eu vou saber.

. Não guardo mágoas. Ao invés disso, prefiro enterrar pessoas. E quando enterro não volto nem para trocar as flores do túmulo.

. Passo a vida distribuindo pérolas a quem precisa. Lá vou eu entregando minhas pérolas a cada um que passa. Começo então a colecionar fotos de pessoas de costas.

. Não gosto de quem não aperta a mão com força. Não gosto de quem dá abraço mole. Não gosto de quem não é capaz de um carinho. Tenho medo de quem não se entrega.

. Mudo de idéia. Dou-me esse direito como libriana que sou. E agora, depois dos 40, vejo que quem tem raiz é árvore. Se eu tenho pés e me movimento, porque não meus pensamentos?

. Amar profundamente é a melhor das verdades passageiras.

. Restos mortais
Por natureza são chamados restos. Ninguém quer ficar com restos. Nem a terra merece. Então, minhas cinzas não devem ser guardadas. Quero que sejam jogadas no Malibu Canyon, sentido sul, na primeira curva onde o Pacífico aparece -- o lugar onde minha cabeça aprendeu a voar mais longe, meus olhos aprenderam a ver o invisível.

. Fadas madrinhas existem e agem de forma maquiavélica. Sim, elas não são boazinhas. Ficam se divertindo em sua invisibilidade enquanto nós, pobres mortais, ficamos nos debatendo a procura de uma vida menos ordinária.

. Os únicos homens capazes de me prender a um livro foram Wooddy Allen, Manoel Puig e Kurt Vonnegut. O primeiro pela inteligência deliciosa, por me fazer rir e parecer meu amigo. O segundo por encarnar um escritor diferente a cada livro. O terceiro por tudo!

. Tive uma amiga que me roubou um livro. O livro tinha entrevistas com sete grandes diretores de cinema. Ela me pediu emprestado e desfilava pelas agências de propaganda com o livrão debaixo do braço pra impressionar os meninos da criação. Mas nunca leu uma linha sequer e nunca me devolveu. De alguma forma, o livro foi útil pra ela. Quando a gente não tem talento, usa roupa de artista. Certo?

. Os hereges de hoje são queimados na fogueira das revistas científicas. Na fogueira dos teóricos e dos cegos. A ciência – na figura dos cientistas teóricos com viseiras – tornou-se a igreja de antigamente. Eles estão aí para dizer para qualquer louco que ele devia trabalhar no circo e não se meter onde todo mundo sabe tudo. Deuses...Deuses que pregam o monoteísmo... a monociência, a monovisão. Que riem e torturam com falta de verbas os hereges que ousam discordar do grande deus.

. Mercedes não pode ser frágil. Ninguém com um nome desses poderia. Seria mais ou menos como usar biquíni na neve. Não é apropriado. Não combina. Não seria aceito.
Ou ser franzina...Ridículo! É vedado às Mercedes o direito de ser pequena, magrinha, mignon, frágil, fresca, whatever. Nem pensar em roupas rendadinhas, tons pastel, saltos baixos, visual light. Mercedes nascem fadadas a cooperar com o equilíbrio e a coerência na face da Terra: Combine seu nome com seus atos! Não desalinhe a natureza! Como as Anas são tristes, Reginas são barulhentas, Marias são bonitas, Giovanas são magras, Veras são gordinhas, Mercedes são fortes!


3 comentários:

Alice Salles disse...

Cada fragmento fantástico aqui...

rafaela pedro disse...

Wow!
Fragmentos de peso eu diria!

(Ei, Rafaelas não devem ser magras e delicadas?)

Hehehe
bj

marcos freitas disse...

fragmentos maiores que o todo!