quinta-feira, setembro 06, 2007

Blank

Eu quero muito escrever mas está difícil. Assim, como mágica, toda a inspiração parece que se esvaiu. Sumiu. Se foi.
Uma página vazia é uma tortura enorme. Ela fica parada por horas e horas na minha frente, me olhando com aquele ar impaciente de quem diz: "e aí? vai rolar?" Ai! Vai. Uma hora vai! Mas parece que todas as letrinha fugiram.
Eu não tenho dormido muito. Enquanto tento convencer meu cérebro a simplesmente desligar, ele grita num moto-contínuo tentando buscar uma idéia, uma coisa pra dizer, uma história, alguma coisa. Eu viro para o lado e aperto os olhos, mas não adianta, meu cérebro é a página em branco que me persegue mesmo quando saio da frente do computador.
Então eu vejo um filme. Durante o filme eu não presto a atenção que devia. Fico caçando frases e pensando por que não fui eu quem escreveu aquilo e o que eu poderia escrever que tivesse o mesmo efeito. Mas nada vem. Nada. Blank! Total!
Então quem sabe se eu entrar no Caixa Preta, sing in, olhar para o espaço do post - mais uma página em branco - e começar a dizer qualquer coisa...quem sabe?
Nada!
Uma história de amor? Coisas da Vida #4? Uma poesia melosa? Um texto antigo?
Nada!

Então amiguinhos...nada a declarar. Fora uma dor nas costas que eu estou rezando para que não seja o meu velho rim esquerdo gritando outra vez depois de exatos 20 anos, tudo está assim...Tudo quieto no reino de Mercedes.

Quem acredita em alguma coisa, reze, acenda uma vela, faça uma simpatia, qualquer coisa para essa página em branco me deixar.

Um beijo amigo no seu umbigo.

2 comentários:

Alice Salles disse...

aff...
i totally understand you...
to blank tb mas hoje me deu uma vontade de escrever no blog que lá ta a coisa nova... mas ta dificil ultimamente!

beijos

marcos freitas disse...

vishhh... então o baguio é generalizado!? heheheh
...também tô aqui olhando as páginas, papéis, telas e outras telas em branco... com os blogs abandonados, etc, etc, etc... mas acredito sim em "alguma coisa" e essa fé me faz ter fé de que logo logo essas páginas deixarão de estar em branco... aliás... adoro essas páginas em branco... como um prelúdio silencioso para toda e qualquer possibilidade!!!
beijos