quinta-feira, setembro 13, 2007

...


Querido diário,

Ando meio estranha. Um tédio meio chato, uma falta de vontade.
Misteriosamente meus vícios estão indo embora, e quando o vício é o seu grande companheiro, fica difícil encarar a vida sem ele. Não, eu não estou parando de fumar. Eu estou entrando menos na internet. Quem diria?
São 5:47 da tarde e eu estou sentando na minha cadeira pela primeira vez hoje. E quer saber o pior? Eu não abri o msn. Eu não corri para ver meus e-mails. Eu só sentei e olhei em volta. Sabe aqueles dois CD's que eu larguei em cima de uma lista telefônica há 3 dias? Estão ali, no mesmo lugar. O Movie Plot Generator que eu tirei da estante pra brincar com o Cláudio de criar o plot do filme que vai dar um Oscar para ele? Continua aqui ao meu lado direito, onde eu larguei naquele dia. E o zippo preto continua sem fluído, alguns envelopes não foram abertos, o aspiradorzinho vermelho está jogado aqui do lado desde o dia que eu resolvi limpar o meu teclado.
Assim...bem desse jeito, como se o tempo tivesse parado pra mim. Mais um café e olho em volta. Preguiça de escrever, preguiça de entrar online, preguiça de colocar a vida em dia.
Em compensação eu assisti, só hoje, dois DVD's da primeira temporada de Heroes. Do jeito que eu gosto: sozinha lá embaixo, sem ser interrompida por nada. Quando resolvi parar de ver, fiquei mais um tempo na sala pra não ter que levar minha empregada até a portaria. Preguiça de ser simpática com ela também.
Hoje acordei no susto. Meu celular tocou e me avisaram que o Rafael já tinha chegado. Dizem que me acordaram as 9:15. Ele também me mandou um torpedo as 9 dizendo pra eu acordar. Não vi nada. Estava apagada. Levantei no piloto automático, me vesti, subi, alonguei e disse para ele que eu queria comer amora. Amora! Amora? Já estamos em setembro e eu não senti ainda meu chão ser tirado dos meus pés? Já tem amora lá fora e me sinto como se fosse abril ou maio? Isso é ainda mais chato e estranho do que não querer entrar online ou escrever.
Fomos correr. Demos uma volta nos 3 lagos do parque e depois paramos de amoreira em amoreira, para comer. Duas crianças com os dedos sujos de roxo e os lábios manchados de batom natural num dia lindo de sol.
Ok. Voltamos pra casa, abdominal, alongamento. Quando o Rafa saiu, o normal seria eu sentar na minha cadeira e ligar o computador. Nem. Não tive vontade. Assim como não tive vontade de conversar. Passei o almoço meio calada, sem nem uma palavra querendo escapar da boca, nenhuma idéia querendo percorrer a cabeça. Depois desci e já contei... vi Heroes. O dia está acabando.
Onde eu compro vontade para fazer as coisas que eu preciso? Existe algum disk-vontade que entregue em casa?
Eu não gosto de ficar assim. Esse estado me remete ao texto ali embaixo. Medo! Medo! Medo do vazio, mesmo que momentâneo.
Ontem eu não quis ver o jornal. Eu sabia desde sempre que o Renan Calheiros seria absolvido e quis me poupar desse constrangimento. Hoje, olhei a primeira página da Folha e hã...quanta novidade, não? Acho que a esta altura seria mais honesto dar as notícias da seguinte forma:
"Renan Calheiros paga suas contas e as de sua amante com dinheiro de lobistas e empreiteiras, ele vai mentir sobre vacas e notas frias quando questionado mas no final será absolvido, por isso mudaremos de assunto." E com letras miúdas: "queremos evitar que a amante dele fotografe nua". Fim de história, vira a página.
Acho chato demais ficar sendo forçada a acompanhar o corre-corre da mídia e da polícia para depois ver que tudo acaba como a gente sabia que acabaria. Palhaçada sem fim. A Nazaré cair da escada na novela das 8 era menos óbvio do que qualquer final de novela em Brasilia.
Fora isso, tem o remédio carézimo do meu pai. Diz a lei que o governo do estado e a prefeitura têm obrigação de fornecer medicamentos a doentes com câncer. Sim. Tem sim. O plano de saúde também. Então é preciso tentar. Sim, é preciso acreditar... tá. Quem não sabia desde o primeiro dia que isso só acontece em propaganda de campanha? Tudo acabou como eu previa, de novo, outra vez, ai que saquinho.
Eu devia tentar usar este dom para salvar o mundo. Mas hoje não estou com vontade.
Mais um café.
Acabei de guardar um dos CDs que estavam aqui jogados ha dias. Era "The Other Side of Round Midnight" do Dexter Gordon - assunto para mais um "Coisas da Vida" que eu conto outro dia, quando o disk-vontade chegar.

Besitos.

4 comentários:

Flavia Melissa disse...

memecota... entrei aqui pronta prá te dar uma bronca por causa do seu sumiço e de repente... esse post!

pelo menos vc treinou e comeu amora. e viu heroes, que é super bacana. se o disk vontade demorar, coloque jericho em dia também. é legal prá burro!

amo!
beijos e queijos (bem pouquinho prá não inflar).

Fastolf.b disse...

eita, mama.
Nao pode, seremos úteis!
Achei um motivo legal para entrar na net todo dia..
Beijo

Carolina Garofani disse...

ah mê, esses dias assim fazem a gente se sentir culpada, mas qdo passam a gente vê que fazem bem... serve pra gente botar os pensamentos em ordem, pra recarregar as baterias e pra clarear a mente...

Alice Salles disse...

Preciso desse disk-vontade também! urgeeeeeeeeeeente!