domingo, setembro 26, 2010

_pequeno conto de inverno


A noite estava fria quando a Fêmea X conheceu o Macho Y.
Os dois eram de tribos diversas, divergentes, quase opostas, mas nem isso nem o frio impediram que os dois se apaixonassem instantaneamente. Na língua dele, este não era exatamente o caso, mas ela também não queria muito saber como a tribo dele chamava "amor à primeira vista". Devia ter algum nome, já que era uma tribo cheia de leis e regras misteriosas. Quem se importa?
Ela vinha de uma tribo livre, de fêmeas que não se aproximam de macho algum se não o quiserem muito...dificilmente seria capaz de notar se não houvesse sentimento da parte dele. Mas havia.
Foi intenso o encontro de X e Y.
Ele declarou sua devoção, mostrou-se por dentro e por fora, cumpriu o ritual da paixão sem deixar dúvidas de que a queria até mais do que ela a ele.
Mas tribos divergentes são tribos diferentes: ela côncava, ele convexo. Ela luz, ele reflexo. Ela entrega, ele...oh céus...ele muito complexo.
Quem poderia entender os habitantes daquelas bandas?


Do nada, o Macho Y voltou para sua tribo sem que a Fêmea X tivesse tempo de evitar. Mas deixou rastros. Incoerente como só ele, não soube apagar o cheiro e as pegadas que deixou pelo caminho. Por instinto - pura liberdade - ela seguiu sua sombra até os limites da tribo dos Ypsilons...para nada encontrar. Só o cheiro e as marcas no chão... nada mais. Não havia tribo, não havia...simplesmente nada havia.
Desolada, a Fêmea X voltou para sua aldeia sentindo a dor das asas cortadas.
Ele desapareceu no ar como um perfume que perde a essência... do qual ela já não é capaz de lembrar.

End of story.

15 comentários:

Alice Salles disse...

E como toda boa história, o fim não condiz com o que estava explícito no prâmbulo...

Alice Salles disse...

preâmbulo! haha!

Marcos Freitas disse...

woah... oh yeah...

Abaigail disse...

SÉRIO: Eu nunca vi alguém tão velha que escrevesse tanta besteira!
Tenho pena da sua filha q tem uma mãe com mentalidade menor q a dela. Vc é uma ridícula!
As sus opiniões são ultrapassadas, vc não é nada a frente do seu tempo, apenas não cresceu, não amadureceu, é uma velha com cabeça de adolescente. Por isso, patética!
E quando quer dar opinião da vida dos outros sem saber a totalidade dos fatos, é que a sua imaturidade e cabeça oca aparecem!
Véia babaca, sua filha já é uma adolescente perdida e será uma adulta sem valores e referências. Também com uma mãe fútil e imatura destas, a coitada da menina só pode ser insignificante mesmo!

Mercedes Gameiro disse...

Ein?

Não entendi....explica ISSO pra mim:

"E quando quer dar opinião da vida dos outros sem saber a totalidade dos fatos, é que a sua imaturidade e cabeça oca aparecem!"

Opinião na vida dos outros? Em que parte do meu blog você leu alguma OPINIÃO SOBRE A VIDA DOS OUTROS?

Melhor parar com as drogas, meu bem. Parece que você andou fazendo alguma coisa muito muito feia e ta achando que eu sei.
Hm...que comentariozinho assinado esse seu. hahahahah!

Mercedes Gameiro disse...

Ah...by the way:

1."Velha" é uma palavra que não me ofende.

2. Retardada, imatura, cheia de historinha adolescente? Que novidade...todo mundo sabe que eu sou. Você também esqueceu "louca". É. eu sou.

3. Minha filha é uma adolescente perdida? HAHAHAHAHAHAHa
Essa foi a MELHOR das suas piadas.

Vai cuidar da sua vida. E não esquece que seu ip está no google analytics.

Beijo.

Bibi disse...

hahahaha! NEM LI O QUE VC ESCREVEU NESSE TEXTO ACIMA! O que escrevi é porque te conheço muito bem!
E de tão ridícula se ofendeu e comentou no twitter. hahahahha! Mas de tãoooo fútil deve desgostar mais de ser chamada de Velha, do que de sem Consistência e sem Valores. Porque sei muito bem que vc não está passando valores saudáveis e consistentes para sua filha. A sua própria resposta egocentrada e voltada mais para o que falei com relação a aparência do que com relação a sua inconsistente personalidade não deixam dúvidas que a educação da sua filha é falha!
Conselho: menos internet mais família, caso contrário quando vc se der conta será tarde.
Não disse que vc comentava sobre mim. Mas q se detém mais com a vida dos outros e em comentar isso de forma irresponsável na internet, no Twuitter, etc, do q com a educação da sua filha
E com relação a meu IP. hahahahahhaha! Pode publicá-lo aqui se quiser!

Mercedes Gameiro disse...

Você me conhece muito bem...

é por isso que acha que eu vou discutir a minha filha, a minha família e os meus valores com uma pessoa incapaz de assinar o próprio nome ao fazer uma crítica. Entendi.

Deixe a minha filha fora do seu odiozinho ridiculo por mim. Se você não percebeu, isso foi a única coisa que me ofendeu.

Agora segue o seu próprio conselho: sai da internet e vai cuidar da SUA familia, se é que você consegue manter uma.

Diogo disse...

Curioso é fazer criticas morais escondida no anonimato.
Coisa de gente pequena.
E gente pequena não tem direito a critica.
Mesmo se realmente conhecesse bem.
E se, como diz, conhece bem, é uma pessoa fraca. Fraca e pequena que não assume o que pensa e não assume o que diz.

Onde fica a coragem agora, covarde?

Alice Salles P. Affonso disse...

É exatamente o que o Diogo falou, é bom você mostrar a cara logo, antes de todo mundo pensar que você não passa de trote de algum desmiolado adolescente sem escrúpulos... ou de alguma VELHA cheia de problemas pessoais e que não tem coragem de falar de si mesma no seu próprio espaço.

Mercedes Gameiro disse...

Tá...eu vou explodir se não disser mais uma coisinha:

Sobre INSIGNIFICANTE.
Deixa eu te falar que desejo do fundo da minha alma que você tenha filhos tão insignificantes quanto os meus. Porque antes de mais nada, meus filhos são fortes, têm caráter, têm personalidade, sabem quem são, assumem seus erros e não se escondem.

E esta moça a quem você chamou de "insignificante" tem mais força do que todo o seu ódio por mim vezes um milhão.
Ela superou problemas que você saberia, SE REALMENTE ME CONHECESSE BEM. Ela resistiu à crueldade de seres como você, e piores, e saiu do outro lado como provavelmente você - que não assina seus ataques - não conseguiria.
E isso por dois motivos:
1. Ela está longe de ser insignificante.
2. Ela tem uma familia ao lado dela.

Atire quantas pedras você quiser, mas que sejam todas em mim! Deixe os meus filhos fora disso.

Fabio Piva disse...

Tá, vou levar bronca da autora por me manifestar a respeito - mas eu não consigo me segurar. Paciência. Mas vamos lá, tentarei ser breve.

Gostaria apenas de fazer uma breve análise do perfil do ilustre desconhecido que publicou estas baboseiras aqui. Primeiro, obviamente se trata de um adolescente irresponsável - ou alguém adulto que se porta como um, o que francamente seria uma vergonha. Procurar atingir alguém dizendo sandices sobre seus familiares é, no mínimo, patético - eu mesmo seria capaz de atacar a autora com argumentos perfeitamente válidos sobre ELA, sem apelar para um truque tão barato. Por isso mesmo, creio que além de se portar como um adolescente irresponsável, o pobrezinho é incapaz de sustentar uma discussão com argumentos cabíveis. Espero que não seja psicólogo, advogado ou estudante de algumas dessas ciências - pois seria um profissional bastante medíocre.
Segundo: Além de digno de pena, o coitadinho não se mostra muito inteligente. Tenta ser, procura se fazer claro em seu discurso, mas não tem muito sucesso - o que é perfeitamente natural vindo de alguem que busca defender uma idéia sem saber exatamente o que defende. De novo, ressalto: Ninguém é perfeito, e seria bem fácil atacar alguém por quem se tem algum tipo de ódio velado explorando suas próprias falhas. Mas para tanto, é preciso alguns neurônios e algum perspicácia - coisa que muita gente não tem e infelizmente não se vende no camelô.

Meu diagnóstico: Alguém incoerente, meio burrinho, imaturo e sem coragem de assumir os próprios atos. Tratamento: Doses de pena alheia (que já estão sendo administradas por mim e pelos demais leitores), atenção de estranhos (já que os próximos não devem disperdiçar muito tempo ouvindo esse discursinho besta) e confetinho. Esquindô, esquindô - esse sou eu jogando confetinho.

Fabio Piva
http://paciencianegativa.blogspot.com/

Anne Caroline Marciquevik disse...

Muito provável q eu tenha perdido o timming de comentar alguma coisa sobre a falta de caráter e dignidade de gente que sai por aí ofendendo as pessoas no anonimato. Mas, tenho que me manifestar sobre apenas um detalhe: opinião cada um tem a sua, e valor, tem aquelas pessoas que não tem medo de assumir o que dizem, e a Mercedes é uma dessas pessoas. Onde quer q ela se manifeste eletrônica ou pessoalmente deixa a sua marca pelo seu nome, e pelo seu caráter. Dignidade é isso, é opinar e assinar embaixo. Valor? Só quem conhece um pouco da "vida de mercedes" e consequentemente da sua família é que sabe o tamanho e a grandeza dos que ela possui e tão perfeitamente transmite aos seus.

Parabéns! Pela mãe e pela pessoa q vc é! Ainda que indiretamente, esses valores são sentidos na minha vida, sempre que eu preciso recorrer ao mais profundo significado de amizade!

bjo

Mercedes Gameiro disse...

Anne,

Toda unanimidade é burra. É bom que alguém discorde das minhas atitudes e me odeie, e me ache podre de falha.
Isso me dá até um alívio. Eu não sou nenhuma santa. E longe de mim a idéia de ser perfeita em algma coisa.

Sei que você conhece profundamente parte do resultado da minha vida familiar...e sei como esta parte atinge você em cheio. Pessoas como você podem falar, porque conhecem.
Talvez essa coitada seja alguém que ACHA que me conhece, porque se me conhecesse de fato teria, no mínimo, a decência de vir falar comigo pessoalmente sobre suas "preocupações com a minha familia".

De qualquer maneira, agradeço a preocupação ne? Sou educadinha.

Beijos minha amada,

Obrigada pela defesa.

Anônimo disse...

Tem velha que escreve história infantil. Aí ela é retardada? Não entendi.