quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Being Brazilian

Boa noite, ladies and germs...

Aqui estou eu de volta do lugar que amo...outra vez...porque deus é pai, não é padrasto!
Um dia há milhares de anos, eu escrevi uma carta para o mundo, agradecendo por coisas que já teriam acontecido no meu futuro, assim...como se eu fosse louca. Um dos agradecimentos dizia assim: "Obrigada por todas as minhas idas e vinda à Los Angeles, cidade que eu amo e me recebe sempre como a um filho que retorna."
Wow! Funciona! Isso foi escrito há uns 10 anos, e ontem de manhã um cop negão de dentes brancos estava me dizendo: Boa viagem, volte logo!
De todas as minhas viagens essa foi a mais atípica. Não tive tempo para passear na praia olhando o céu, nem ver meus amigos, nem nada do de sempre. Foram dias malucos, de acordar cedo e ter aula das 9 da manhã às 8:30 da noite, absorver informação, informação, informação, até o cérebro começar a fritar. Chegar no hotel à noite, pedir comida no quarto e morrer de cansada às 10:30.
Fiz as contas hoje, e descobri que em 6 dias vi mais de 16 filmes -- contando com os do avião na ida, os do avião na volta, os do curso, os do "dia livre para shopping" que se transformou em dia internacional da pipoca: sessão enlouquecida de cinema, saindo de uma sala e entrando na outra. Bom demais.
A última vez que eu fui, também para estudar, senti que algo havia mudado na reação das pessoas ao ouvirem a resposta para : "where are you from?" Antigamente, quando eu dizia que era brasileira, via uma reação de estranhamento por eu não parecer com a Sonia Braga...ou no máximo uma certa curiosidade do tipo: você dança tango? (maldade.hahaha) E eu me lembrei de agradecer ao Fernando Meireles e Waltinho Salles por nos fazerem existir! Porque agora, a reação é: "Nossa! Você é brasileira? Como tem gente talentosa no seu país...!"
É tudo novidade... há alguns anos (e ainda em alguns lugares) quando a gente chegava num evento, só encontrava brasileiro trabalhando. Tem sempre um garçom brasileiro, outro servindo café, a moça da limpeza...Desta vez éramos quatro; todos pagantes, alunos, respeitados, iguais aos outros. Não éramos ETs. Ao contrário.
1. Flávio Alguma Coisa: coordenador do núcleo de escritores da Rede Globo
2. André Dória: diretor, roteirista, pai de 4 filhos e gente boa
3. Ian McKee: ator em Los Angeles, vencedor de um Bachelor (hahah isso é incrível) escritor e lindo -- tipo assim um holograma...escritor bonito não existe!
4. Euzinha.
E aí eu fiquei pensando na semana que passou: eu vi a Salma Hayek na TV apresentando os indicados ao Oscar com lágrimas nos olhos, toda emocionada porque o México tem várias indicações (Babel e Pan's Labyrinth e ainda Penélope Cruz com Volver)...e descobri que a nossa hora chegou. Precisamos agradecer a esses 3 homens -- Alejandro Iñaritu, Waler Salles e Fernando Meirelles -- por mostrarem a Hollywood que os Latinos têm histórias para contar e sabem contar muito bem, obrigada. Mas não vamos generalizar, por favor... Eu ainda acho o cinemão brasuca o lixo que sempre achei - me processe! Mas no que diz respeito a Waltinho e Fernando, eu tiro o meu chapéu. O que eles fizeram por nós não tem preço. E o que o Alejandro Gonzales Iñaritu acaba de conseguir, também abre as portas para nós, mortais no terceiro mundo!
E pela primeira vez na história, é tempo de ser Brasileiro. Estão olhando para nós com olhos que vão além do serviço doméstico. Estamos na moda! Ufa...até que enfim.

Fora isso, que é muito, foi tudo muito bom. Fiz contatos incríveis com gente do mundo todo, todos de olhos e alma bem abertos para saber tudo de todo mundo. Tipo "small planet" mesmo. Adoro! Pessoas falando um mix de línguas para se fazer entender. Babel no bom sentido. Isso é lindo.

É isso, kids...estou exausta e feliz.
Mas acho que isso nem é novidade pra ninguém.
Agora eu vou dormir.

Um beijo amigo no seu umbigo.



6 comentários:

flavia melissa disse...

ai que bacaaaaaaana receber comentário seu no meu cafofo!!! juro que quando entrei aqui e vi que vc era aqueeeeeeela do TPM... WOW!!!

sabe que LA é um dos meus próximos e certos destinos, tudo por causa de uma amiga que pertence a essa turminha esquisita de cinema, que vive delirando por causa de LA, por causa das palmeiras de LA, por causa da cor do céu de LA... adorei seu relato, me levou pras suas lembranças! by the way, enquanto estava lendo aqui imaginei que essa minha amiga vai ser você daqui à uns aninhos... me senti super familiarizada com o seu cantinho, surpresa gostosa!

sobre meu post, infeliz-ou-feliz-mente, não é nenhuma amiga minha não no dialague, é que sou tão duas ao mesmo tempo (essa coisa de nomes duplos dá nisso, a gente se julga no direito de admitir livremente a dupla personalidade, e a lua em gêmeos só piora tudo) que a maior parte do tempo é esse tipo de briga que rola na minha pobre cabecinha...

gostei tanto que vou te add nos meus links, tudo bem prá vc?

obrigada e beijos :))

flavia melissa disse...

sim, sim, sim, andava pelo TPM horrores!!! adorei descobrir o caixa preta!

esquizofrenia light adorei horrores, vou adotar o termo e usar toda frufrulenta por aí, toda vez que me chamarem de louca.

- Você é louca!
- Não, não, não, louca nunca, apenas esquizofrenica-light...

ahahahahahahaha ;))

flavia melissa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
flavia melissa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marília disse...

Por que está cheio de "esta postagem foi removida pelo autor"???Aff...acho qeu nasci curiosa!!!HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA
Hum...daqui uns tempos teremos Mercedes Gameiro!!!Obaaa!!!
Beijoca e muito feliz por estar de volta.

Alice Salles disse...

Ah, Mercedes! Escritor lindo existe sim! hahahaha
Que delícia ser brasileiro hein? Poder dizer que a gente minimamente tem o que quase ninguém mais tem: talento natural...
Ainda bem que nasci brasileira! Pra poder viajar pelo mundo orgulhosa... Pra poder ter em mim todas as qualidades e defeitos de uma boa cucaracha verde e amarela zigzagueando mundo afora...
Beijos!