segunda-feira, novembro 29, 2010

_e se?

Ou "Como o MSN inspira textos bestas"


E se você encontrar aquela pessoa de novo, assim, do nada, num restaurante?
Vocês não se vêem desde aquele e-mail fatídico, mas você sempre nutriu uma esperança besta de que ela acordasse um dia morrendo de saudade e ligasse dizendo:
"Preciso te ver. Agora." Não vai acontecer. 

Agora que ela parou de balançar de um lado para o outro, acalmou um pouco o follow/unfollow/follow-de-novo no twitter, e aquela outra conta que depois de ir e voltar doze vezes, ela finalmente deletou (e você não tem mais como matar a saudade olhando fotos ou conferindo conversas), e até os velhos e-mails você já jogou fora...Bem agora que você está tranquila e livre do vício, pela primeira vez em mêses...bem agora, você entra na droga do restaurante e, naquela mesa do fundo à esquerda, bem de frente para você, ela carrega o primeiro par de olhos a cruzar com os seus.
Now what?

Ignorar, tenho certeza, está fora de questão. Acho que seu coração vai bater tão forte que é capaz de pular longe e sujar a toalha de alguma mesa de sangue. Eca! E duvido que você consiga evitar um sorriso de orelha a orelha, capaz de cegar metade da população presente. Mas espera! Você é mesmo capaz de desviar o olhar e fingir que não a viu? Será que você senta numa mesa bem longe da dela e almoça tranquila, ignorando solenemente a presença gigantesca que, com certeza, ocupa um restaurante e meio e te espreme contra o muro do outro lado da rua? Duvido.
Duvido e ao mesmo tempo acho triste.

Eu sei o que você vai fazer. Você vai encontrá-la no caminho do banheiro das mulheres, vai dizer:  
"Oi! Nossa, quanto tempo...tudo bem?"
Vai ficar olhando pra pessoa com cara de bobo, mal vai escutar a resposta dela que na verdade não interessa , vai dar dois beijinhos completamente sem graça -- quando queria mesmo que ela te agarrasse e te arrastasse pra dentro do banheiro com um beijo-na-boca-cinematográfico-mega-plus --, depois, vai virar as costas como se ela fosse o amigo do amigo da sua prima que você não vê desde aquele dia na sua festa de doze anos, e vai voltar pra sua mesa, engolir a comida sentindo raiva do mundo, pagar a conta e ir embora sem café.

Sabe o que eu acho? Vocês são dois bananas.
Era só.


Imagem: SuperStock

4 comentários:

heller disse...

como diria um chefe meu, se vaca voasse, chovia leite... heheheh

Hugo Pires Teixeira (@hugopt) disse...

Sou feliz de nunca ter passado por isso, eu tinha que agradecer todo dia.
Beijo, Mercedes...

@hugopt

Fabio Piva disse...

E de "e se" em "e se" é que a sanidade vai saindo de fininho, dando lugar à paranóia e à ansiedade.

Sofrer por antecipação é sofrer duas vezes. Ou pior -- é sofrer por algo que nunca sequer chegará a acontecer. Evito.

Beijos,
Fabio Piva
http://paciencianegativa.blogspot.com

Ella M. disse...

Situação clássica. Aconteceu. Não aconteceu? Aconteceu, mesmo que na sua cabeça apenas.

Porque é a separação já aconteceu e o mundo continua acontecendo enquanto pacientemente tecemos nosso luto.

E acho que se aconteceu, você deveria ter sim pedido seu café e bebido lentamente..... E depois saído do restaurante pensando: quem perdeu foi ele.

Clichê? tudo bem. Eles existem por alguma razão, n'est-ce pas?