terça-feira, abril 08, 2008

Confissões rápidas de um cérebro em pane.


. Até hoje não entendo para que serve saber análise sintática. Minha filha veio me pedir para explicar adjunto adverbial, eu olhei para ela com cara de proteção de tela, peguei o livro de Português, li, entendi e expliquei. Mas o que eu queria mesmo dizer era: "Esquece. Diz pra sua professora que eu vivo para escrever e nunca usei nada disso."

. Tem envelopes que chegam pelo correio e eu não abro.

. Às vezes eu atendo o telefone e digo que não sou eu.

. Estou escrevendo sobre um triângulo amoroso. Ontem reli todos os capítulos e entrei em crise. Minha personagem deve ficar com o maravilhosamente devastador, genial, equilibrado, bom-de-mostrar, inteligente e incrivelmente amável rockstar que ela conhece há anos e quer casar com ela? Ou ela fica com o doido varrido, impulsivo, ousado, maluco, deliciosamente atrevido escocês que ela conhece há pouco mais de três dias e faz ela tremer só de apontar aqueles olhos azuis em sua direção?
To sofrendo. Vou parar de escrever essa história.

. Eu finjo que falo no celular quando não to a fim de ser simpática.

. Eu não sei usar... ; ...ponto e vírgula.

. Quando eu era novinha, dividia tudo com duas irmãs, um irmão, pai, mãe, uma avó e quem mais chegasse (sempre chegava alguém). Hoje sou neurótica com as coisas que acabavam na hora errada, por isso tenho, em todos os banheiros da família, absorvente, pasta de dente, sabonete, papel higiênico, cotonete, toca de banho e escova de dente para abastecer um hotel em Las Vegas.

. Eu me tenho no MSN. (ok...isso não é novidade)

. Eu tenho comido escondido de mim.

. Já faz muito tempo que eu não rezo antes de dormir. Às vezes deito na cama e me pergunto se não devia. Mas depois penso em tudo o que eu desejo de bom para as pessoas que me cercam, para as que estão aflitas, para as que moram nas ruas, e lembro que isso já é rezar.

. Há muitos anos, fiz um filme com um ator que exigiu toalhas brancas, uma bandeja de frutas e uma tábua de queijos no camarim porque não comia comida de produção nem morto. Acatei os desejos dele, e pedi pra Dirce - a velha e boa cozinheira da família - ir pra cozinha e fazer tudo de mais cheiroso e tentador que ela conseguisse durante as horas da filmagem. Ha! Pobre tábua de queijos... Ele não só comeu a comida da produção, como ficou horas na cozinha com a Dirce anotando receitas.
( Mas eu aderi às toalhas brancas que ele pediu. Até hoje, eu não tenho toalhas de outra cor)

. Toda vez que eu discuto com o meu marido ele tropeça em alguma coisa e machuca o pé. Eu me pego encafifada com isso de tempos em tempos. Tomara que a gente nunca discuta muito sério.

. Neste momento, meu hotmail tem 435 mensagens não lidas, que não serão lidas tão cedo por pura curiosidade científica: quantos e-mails desinteressantes alguém pode receber de uma mesma pessoa durante uma vida?

. Eu gostava do Orkut quando podia xeretar os scraps alheios e dar risada. Agora ficou sem graça com essas ferramentas de privacidade.
Sim! Eu sou ética e boazinha...mas tenho uma gêmea malvadona.

. Quando vejo minha filha sofrendo em cima de uma apostila de química tenho vontade de dizer pra ela deixar isso tudo de lado, parar de sofrer, ir estudar arte, dança, línguas! Ensinar pra ela que o corpo não é só o meio de transporte da cabeça, e a universidade não é uma necessidade real, já que o mundo não precisa só de doutores. Alguém precisa dançar, pintar, cantar, tocar instrumentos, mudar o mundo, e nada disso se faz de dentro de uma faculdade, e a maioria das pessoas se forma e jamais atua na área em que se formou.
Aí eu me recolho e não digo nada, mas fico questionando se é justo que a educação no mundo seja toda voltada só para a universidade. Dá pra se dar conta que a vida real só começa DEPOIS da faculdade e ninguém te prepara pra isso?
Será que só poucas pessoas pensam que a escola leva 14 anos para transformar um ser expontâneo e único numa múmia igual a milhares de outras múmias? E que depois que esses seres inexpressivos deixam de ser únicos, passam mais alguns anos na faculdade aprendendo uma coisa e esquecendo todas as outras? Eu vejo as escolas ensinando o pensamento alheio, mas não as vejo criar pensadores. É preciso lembrar que enquanto os doutores trabalham, alguém precisa empurrar o mundo pra frente.



13 comentários:

Flavia Melissa disse...

simplesmente genial!

ps_eu também às vezes finjo que to falando no celular. e virei perita em imitar o sotque nordeste da minha secretária do lar (sim, ela exisge este termo) quando o povo do santander ou da telefonica ou da casa de apoio às criancinhas fodidas me ligam. SHAME ON ME!

Carolina Garofani disse...

APLAUSOS pro ultimo item!
APLAUSOS
CHEERS
BRAAAVAAAAAAA!!

Carolina Garofani disse...

(eu me tenho no msn. eu finjo falar no celular quando nao quero que as pessoas pensem que eu estou sozinha no lugar. eu me sinto culpada quando penso algo ruim de alguém e a pessoa tropeça. no vestibular eu disse alto quando saí: "ESTA FOI A ULTIMA PROVA DE QUIMICA QUE EU FIZ NA VIDA!". eu minto que minha irmã não está quando é alguma amiga dela que nao gosto. quando começam a me mandar spam demais, eu respondo a pessoa e peço pra ela me tirar da lista de emails dela - me sinto péssima por isso, mas preservo minha tecla de delete, que já anda tao cansada, tadinha.)

Alice Salles disse...

realmente, esse último item merece virar quadro na parede! estilo dez mandamentos!

besitos mercy

Anne disse...

Tia... avisa a Natasha que o irmão dela é um dos caras mais bem resolvidos profissionalmente que eu conheço (se não o mais!) e ele sempre esteve pouco ligando (c###) para a educação formal...
Conta pra ela que poucas pessoas, ainda que com diplomas reconhecidos, ganham mais depois de formados do que o garçom do restaurante da esquina... então... dane-se a química... :D
bjo bjo

Lee disse...

Agora entendi porque vivo tropeçando em casa...


Swain

(reparou que só mulheres fizeram comentários?)

Perin disse...

more...voltei ao blog...saudade...ainda tô curtindo aquele assunto que te contei no msn...delícia.

Diogo disse...

Não concordo! Alias, discordo quase em absoluto.
Sou contra o ensino generalizado, mas uma criança até a oitava série não tem a menor idéia de o que vai fazer pelo resto de sua vida. Quer dizer, tem... mas não é isso que ela vai fazer. Aos 16 ela muda de idéia de novo... Então a única saída é o ensino igual para todos.
O mundo precisa de artistas, sem a menor dúvida. Mas os grandes pintores sabem que tinta misturar com o que, qual misturar com água, qual jogar um pouco de talco e qual usar em que superficie. Isso é noção de química, não só tentativa e erro. O grande gênio da computação não programa um iPhone sem aquelas aulas de matemática chatas para caramba, e aquele take completamente inovador não existiria se alguém não soubesse quanto de peso o braço da grua aguenta. Isso é física... Venha me dizer que Mr. Fisher, PES e Michel Gondry não entendiam de física...
Eu sou um cara autodidata que sempre odiou estudar, mas um ensino curto e de qualidade mudou completamente a minha vida.

Então seja contra o vestibular, seja contra decorar formulas. Mas, peloamordedeus, apoie entender o porque, apoie o ensino objetivo e o ensino puxado, já que é só o que vai fazer diferença mais tarde.

Não esqueça que hoje vivemos no mundo da informação. Hoje, a evolução segue os mais informados, não mais o mais forte. Esta é a sobrevivência da espécie.

Como ninguém nasce sabendo para onde vai um ensino igual para todos não é nada mais do que justo.
O vilão aqui é o ensino superior podre deste país, e não o ensino fundamental. Que, aliás, tem esse nome por um motivo bem específico... só por ser fundamental.

O resto é pura preguiça... e eu sei beeeeem como é!

Beijos e abraços

D.

Mercedes Gameiro disse...

Diogo, querido...

Por isso eu disse: EU ME RECOLHO.
Concordo plenamente com o que você disse, mas ainda acho que "igual pra todos" é lindo, mas "todos não são iguais."

É lógico que sua irmã vai fazer o ensino fundamental...lógico que vai fazer uma faculdade. Mas eu adoraria que o sofrimento fosse menor, principalmente para os que não têm o seu cérebro afortunado de autodidata. Coisas que você ouviu uma vêz na vida e entendeu pra sempre não ficam tão claras para que não tem os seus dons.

De qualquer forma, relaxa baby...
O mundo não vai mudar amanhã depois do almoço, nem eu, nem as coisas que eu penso. E pode ter certeza de que se eu não pensasse como penso, você teria forçosamente feito uma faculdade desinteressante só pra ter o diploma.

eu gostaria que o ensino fosse diferente. Eu gostaria que vestibular fosse banido. Eu gostaria que as pessoas pudessem todas estudar na faculdade que você estudou, com a qualidade das aulas que você teve. Mas não é assim que funciona. Unfortunetly.


E eu te amo, mesmo você transformando a minha filosofiazinha num monstro! hahahahha!

Beijo

Camilla disse...

Adoro o seu blog..
Sempre que posso dou uma olhada!

Muitas coisas que vc disse eu faço ou acontecem.. normal..

Bjus! continue assim.

Rafa e Dedé disse...

Adoro discussões mãe-e-filho.
Ainda mais com esta Mãe e este Filho!
bj pros dois

Don Suelda disse...

Mercedes, zifia:

Num gosta mais dimim?
Tá bão.

Eu me conformo.

Solda — liberdade em raios fúlgidos

Bia disse...

to cada post mais fã!
nossa, que claridade dos sentidos e acontecimentos!!!!
tem coisas que vc pensa e faz que ainda não consigo agir....paciencia!
bj