segunda-feira, novembro 19, 2007

November Rain

Mês estranho de um ano esquisito.
Tudo virado. Frio e chuva o tempo todo, com cara daqueles agostos que as pessoas dizem que ninguém deve viajar.
Acabei de chegar de uma viagem que deveria ter acabado ontem às 11:30 da noite mas só acabou hoje às 4 da tarde. Fui de ônibus pra fugir de um caos aéreo que tirou férias. Todos os vôos chegaram e saíram no horário. Em compensação minha viagem de 6 horas durou 9 horas e meia de tortura num ônibus fedendo a pum alheio. Meu deus! que falta de higiene é viajar de ônibus?! Estava chovendo o mundo, as janelas embassadas escorrendo lágrimas de desespero feitas na verdade da respiração de 30 pessoas diferentes, de endereços diferentes, gostos diferentes, cheiros diferentes....e tudo aquilo escorrendo pelos vidros onde quase se lia, como nos filmes de terror: morra desse ar alheio!
E o perfume? O que aquele povo fez antes de viajar? Comeu ovo cozido e correu 25 kilômetros até ter certeza de estar fedendo? Quantos dias elas ficam sem lavar a roupa até a hora da viagem? Não é possível que aquele cheiro seja normal. É grudento e quase infectante. E não vem me dizer que eu sou preconceituosa e não conheço o cheiro do povo não, porque eu fui povo a vida inteira, e sempre fui cheirosinha. Muito viajei de ônibus, muito andei de ônibus, muito andei no meio do povão.
Credo! Se existe um extrato de pum, ele é retirado do ônibus Golden 5069 da Itapemirim! Pois...foram 9 horas e meia ali dentro cozinhando germes, bactérias e vírus diversos. Além do perfume, havia um menino de 11 anos com alma de palhaço. Jurava que estava no Cirque du Soleil, se pendurou em canos, escalou poltronas, pintou o rosto todo de preto com o lápis de olho da irmã, cantou, dançou, fez malabarismo e recitou todas as frases mais pesadas de Tropa de Elite fazendo caras de Capitão Nascimento. Uma delícia de viagem!
Paramos no posto Graal na hora que deveríamos estar chegando a Curitiba, almoçamos aquele queijo quente que não tem igual no mundo, compramos bananinha...na hora de passar o cartão adivinha? Cartão bloqueado. E porque? Porque ele havia sido usado antes numa máquina com suspeita de clonagem. Ha! Viagem sem dinheiro é tudo de bom! Ainda bem que eu tinha cinquentão.
Bom...e na volta? tudo bem? Não! Na volta choveu ainda mais e eu desisti do buzum...comprei uma passagem de avião pra hoje de manhã e resolvi subir o nível do perfume. Ah que ótimo...e como foi? A crise aérea voltou!!!
O vôo atrasou duas horas e nem tinha lugar pra sentar na sala de embarque. Fiquei sentada no chão jogando joguinho no celular até que o avião -- que deveria ter pousado às 10 da manhã -- resolveu pousar ao meio dia e quinze. Ok, sem problemas, desde que a viagem dure só 45 minutos. Quer saber? Saímos meio dia e meia e chegamos às 3:15 da tarde. ha! Precisamente a uma da tarde sobrevoávamos Congonhas...mas tinha fila de aviãozinho pra descer. Então ficamos rodando (holdando?) sobre a cidade por uma hora mais ou menos, até que o tempo fechou de vez e, para nossa segurança (segundo o comandante) fomos para Cumbica. Acha que pousamos lá rapidinho? Nada! Mais uma hora sobrevoando Guarulhos até o tempo fechar outra vez. E fechou muito. Ficou tudo preto. Preto assim...PRETO! Preto e sacudido! O avião tremeu de todas as maneiras que alguma coisa pode tentar tremer. Subiu , desceu, chacoalhou, pulou, fez de tudo! Parecia o menino do ônibus! E eu, muito sim senhora, fazendo a forte e dizendo pra minha filha ficar calma que a gente já ia pousar, mas dava pra escutar os pensamentos dos passageiros. Dava pra saber que eles estavam lembrando da pista molhada, do acidente da Tam, do Legacy que caiu em cima da casa do tio que estava vendo TV, do Piloto do Air Bus dizendo "Ai não! Meu Deus! Vira, vira, vira!". Dava pra saber que cada uma daquelas pessoas estava só se fazendo de forte, mas no fundo éramos todos vítimas do último ano. Apavorados. Fracos. Entregues. Pensando se estava tudo feito ou deveríamos ter deixado a senha do banco e a do Orkut anotadas em algum lugar vizível..."Se ninguém tem a minha senha, quem vai avisar meus amigos que eu já fui?" "Eu devia ter deixado os documentos do carro na mesa da sala..."
Pois....parece dramático, mas dava pra ver que alguns rezavam sem se preocupar em esconder. Eu mesma lembrei de santos incríveis. Chamei Santa Rita, lembrei que uma vez me disseram que eu sou filha de Iansã então apelei pra mãe também, lembrei de mais duas entidades que sempre andam por perto, falei com elas dizendo que não estava na hora ainda, rezei muito mais "Pai Nossos" do que sabia que conseguiria rezar, falei com Deus milhares de assuntos - tudo quietinha sem mover um músculo.
Num determinado momento, um garoto de uns 20 anos apareceu de pé ao meu lado no corredor do avião, branco, pálido, andando para a frente da aeronave como se pudesse ajudar o piloto. Eu peguei no braço dele e ele me olhou já achando que era o Jack do Lost. Eu perguntei: "O que você está fazendo aí, meu anjo?" Ele franziu a testa, fez que sim com a cabeça e voltou pro lugar. Eu pensei: "Ai ai ai...eu não to pronta, caramba, nem um pouquinho! Pára de brincar disso!" Dei mais um beijo na minha filha que, a essa altura, tinha a cabeça enfiada debaixo do meu braço, e vi as casinhas ficando maiores lá embaixo...finalmente estávamos pousando. Ufa!

Peguei um motorista de taxi que não sabia o caminho para a minha casa. Pensei em fazer cara feia, mas eu estava tão feliz de estar em terra firme que achei que não valia o mau humor.

Estou de volta, amiguinhos!
Beijocas


**a impressora da discórdia chegou e é linda! A HP nunca veio buscar a impressora velha que devia ser parte do pagamento da nova. Aquilo é uma zona!

9 comentários:

Alice Salles disse...

NOSSA SENHORA!
que historia de tirar o fôlego mer! fiquei preocupada no meio do caminho, mas dai lembrei que se vc escreveu isso auqi é porque sobreviveu! hahah
Beijinhos e é bom tê-la de volta!

Mercedes disse...

Hahahahahahhaha!
Adorei!

Perin disse...

Jesus Cristinho!!!
Não sei nem o que dizer, fiquei com o coração na mão aqui. Mas tá em terra firme e bem, então tá tudo bem. Beijo

®.o.©.h.@ disse...

Cruzes!
Ahahahahah! Hilariante é pouco pra tudo isso... Cinematográfico! Depois do teste de sobrevivência à Central de Atendimento HP, só mais esse mesmo pra completar (tava no pacote é?).

Aí, na boa, tá ficando craque nisso hein. Desse jeito você será intimada a participar da próxima edição de "NO LIMITE"...rs...rs...

Bem vinda à terra firme.

Flavia Melissa disse...

eu quero que esse ano acabe logo.
se deus quiser é um ano de encerramento de ciclos, porque a numerologia de 2007 é 9 e depois do nove vem o 1 de novo do 2008, que é o recomeço de tudo.

porque eu não aguento mais 2007.
ô lasqueira!

Marília disse...

Meu pai...já morro de medo!!!
Na parte, que soube da Nat, meu coração gelou!!!
Beijooooo

Borboleta disse...

Dei muitas risadas lendo seu post!!
Você se incomoda deu ler suas coisas?

Mercedes disse...

Borboleta,

Isto é um blog. Está na world wide web, que quer dizer Rede mundial ABERTA! Se está aberto é para ler. Como eu iria me incomodar? Eu sou isso...um livro aberto, feito para ser lido.

(tá...eventualmente eu arranco uma página ou outra porque ninguém é de ferro...)

Fê Savino disse...

Afe... andar de avião virou piada mesmo, não!?? Credooo!!!
Pelo menos fico feliz que tudo tenha acabado bem...
Beijo