quinta-feira, dezembro 14, 2006

Texto de Natal

O Natal já chegou, eu ainda não estou nele, mas já me perguntaram se não vai ter um texto de Natal no Caixa Preta. Putz...Pela primeira vez na vida estou com preguiça, me recusando a encontrar papai noel, peru, tender, ou qualquer farofa bem ruim cheia de castanhas e coisas que eu nao gosto. Péssimo.

Que tal então alguns desejos mal humorados de Natal?

1. Quero acreditar em papai noel. Para isso tenho algumas exigências:
a. Não vou fazer compras de natal, mas mesmo assim a árvore vai estar cheia de presentes na noite do dia 24.
b. Não vou dizer o que eu quero, não vou escolher pra alguém passar pra pegar depois, nåõ vou comprar nada pra mim. Mesmo assim, vou ter vários presentes debaixo da árvore (as mães nunca ficam surpresas ou ganham muitas coisas)
c. Se por distração eu passar por um shopping center, não vai ter um papai noel muito magro lá dentro, nem com a barba fake horrível
2. Que ninguém precise encomendar ceia de Natal, nem determinar quem leva o que, não precise ir ao mercado municipal comprar vinho e champagne, ou enfeitar a casa e montar árvore. Mas na noite do dia 24 um lindíssimo jantar cheiroso vai estar na mesa enfeitada, a casa vai estar cheia de pequenas luzes piscando e velas acesas.
3. Ninguém vai ligar a televisão. Não vamos ver a cara da Fátima Bernardes, nem o Natal de Friends, nem zorra total de Natal, nem ouvir a voz do Roberto Carlos pedindo um milhão de amigos (que coisa! Pra que?) Ah…e a Xuxa vai estar ocupada com seu prórpio natal.
4. O Tender não vai ter mel, melado, karo, mapple syrup, cravo, damasco, laranja, abacaxi, pêssego em calda ou parentes distantes de uma dessas coisas que são deliciosas…mas não no meu tender!
5. O peru vai estar fatiado, lindo, arrumado, mas nada que tenha açúcar vai tocar as fatias. Nenhuma cereja vai manchar de vermelho a carne branquinha do nosso peru.
6. Fios de ovos serão servidos como macarrão. Qualquer um pode meter seu próprio garfo dentro do pote e enrolar como fetuccini…e sair de boca cheia tentando dizer: Huuummmm! (cerejas também. Frescas. Em natura. Nada de calda de marasquino)
7. As sobremesas serão simples. Mousses, sorvetes, essas coisas que as pessoas realmente gostam. Nada vai ter uma calda de room ou cassis, nada vai ser seco e cheio de nozes. Os panetones estarão abertos, para serem comidos. E com a mão. Vai estar terminantemente proibido usar faca para cortar panetone. Como na Itália, todas as pessoas terão direito de arrancar grandes pedaços e come-los amassando antes. Os chocotones voltarão para a casa dos diretores de marketing do fabricante.
8. Todos nós vamos saber que Natal é uma data inventada no Império Romano pelo imperador Constantino para tentar conter a fúria dos pagãos em sua festa mais importante - o Solstício de Inverno – e que Jesus nasceu mesmo em Abril, por isso não precisamos cantar noite feliz nem rezar. Mas precisamos estar felizes e alegres, porque geográfica, metereológica e historicamente, este é um dia de festa.
É okay trocar presentes, já que estamos reunidos.
9. Nenhuma tia vai mencionar o fato de termos envelhecido, engordado, embagulhado, estarmos ficando iguais à mãe, ao avô que era careca, ao tio que foi internado no manicômio. Também não vai acontecer dela citar a semelhança entre a sua bunda/barriga e a de alguém detestável e gigante.
10. Os presentes vão se desmaterializar e aparecer na casa de cada um, pra que às 3 da manhã, ninguém tenha que carregar o carro, perder as pilhas do brinquedo, procurar a parte de cima do biquini que ganhou, ligar porque o filho está aos prantos por esquecer o carrinho de controle remoto novo na casa da avó.

Posso desejar coisas mais filosóficas se vocês quiserem, mas só quando eu não estiver tendo que entrar e sair de loja feito uma doida, perdendo a minha lista sagrada em todas elas e vontando pra buscar. Enquanto o Natal parecer uma festa que, para ser boa, precisa encher o saco 3 meses antes, eu me recuso a ter pensamentos filosóficos sobre ele.
Natal é bom quando a gente é criança, ou quando tem criança; depois disso torna-se uma infinita lista de obrigações dezembrinas.

Ok...é claro que toda essa queixa não passa de TPM, mas de qualquer maneira será preciso esperar que a TPM passe para que eu possa fazer uma carinha dócil, com um sorriso meigo, deixar uma lágrima cair discretamente pelo rosto, enquanto escrevo um lindo texto de natal. Mas ainda vai ter a fase da cólica.
Paciência...


Beijos revoltosos porém natalinos...

6 comentários:

Anônimo disse...

watch that christmas movie i've sent you this night, there's a lot of good philosophy about this time and about all that crazyness around it, hehehe ...and, "all things must pass"... even this fucking TPM stuff ahahaha

kisses and happy xmas (in advance)

Rafaela disse...

Desabafo cheio de desejos meus, hehehe.
Eu ia te falar que não estou me preocupando com o Natal, pq a obra está consumindo toda e qualquer preocupação nossa neste fim de ano. ( Sim, achei o porcelanato!!!)
Mas uma coisa me chamou mais atenção, na lista de pedidos do Murilo, além da casa nova e do quarto, ele pediu: um little people (brinauqedinho pra bebês, que ele quer, e uma máscara de Papai Noel. Vc não imagina como tenho pensado a respeito deste pedido. Acho que aí é que está o espírito de Natal!!!

Mercedes disse...

Olha Rafa...quando eu achava que meus filhos tinham crescido, a Natasha me pediu uma boneca Poly. Aquela que tem roupinha de silicone. E eu vi que não é bem assim. Se eu nunca cresci, porque eles cresceríam?
O espírito do Natal está num monte de detalhes que mal se percebem, e em sentimentos estranhos que começam a aflorar nessa época, não sei porque. Na verdade eu adoro Natal. Só não sou muito a fim dessa função adulta e sem romantismo que é PROPORCIONAR Natal.
Mas não se pode ser criança e esperar o Papai Noel com o coração na boca o resto da vida. Então que eu seja o que vim para ser...E talvez aí esteja o Espírito de Natal: Depois do desgaste e da encheção de saco, ficar olhando a família toda feliz, o sorriso do meu pai, a alegria da minha mãe e a bagunça de papel de presente amassado por tudo...dá uma satisfação quase indescritível!

Bom dia.

Alice Salles disse...

meu deus... seus comentarios sao sempre posts entao vou me esforçar ao máximo pra tentar fazer algo do gênero... olha, eu nunca tive um naal desses aí que vc contou. nadinha parecido. mais parecido é a árvore, q sempre foi muito meia boca. a lembrança mais "natalina" que eu tenho é do meu pai na mesa da sala comendo peru, eu no meu quarto puta, minha mae roncando no quarto dela e meu irmao pequeniniho destroçando a árvore de natal... aí vieram outrso natais tristes... o primeiro natal sem meu pai e daí o resto é história...
o dia que eu tiver minha familia linda vou ter um natal lindo tb!
bjoos

Marília disse...

Acho que o espírito de Natal esse ano está em baixa.
Acho que eu estou em baixa!!!hahahahahahahahahhaha

ms h as in heart disse...

eu odeio final de ano, fico angustiada, querendo atenção, bate uma depre..
mas eu adorava natal ate uns 5 anos atras, encher de luzinhas a casa, familia toda, ate ignorava as encheções de saco... mas ja faz uns dois anos q eu nao passo o natal com a familia, eles vao pro sul e eu fico. Ano passado, qd eu tinha minha casa, eu e o xandão fizemos o natal jamaicano q era acender luzinhas e velas (hehehehhe) e ficar escutando reggae com a rapeize tomando uma cerva, foi mt divertido... esse ano q estou de volta a casa da mamma vai vir parte das parentada pra cá... anyway, a 1 da manha ja ta marcada a festa da rapeize, espero q eu aguente ficar em casa até essas horas hehehehhehehehehhe