segunda-feira, fevereiro 09, 2009

Desabafo


Descobri que não há tempo para imaturidade emocional. Não há tempo para cair, deixar o mundo me arrastar, me debulhar em lágrimas e esperar o tempo passar. Ele passa, e quando tudo acaba, os problemas continuam no mesmo lugar.
Descobri que perder alguém e mais difícil do que imaginei. Eu não tenho muita experiência com tristezas em geral. Sou muito ruim em "ser triste". Se precisasse viver disso seria um grande fracasso.
Mas ai! Dói tanto! Mesmo preparada, mesmo sabendo que era impossível evitar, mesmo estando pronta...Hello? Não tem ficar pronta para um coisa dessas. Como disse a minha mãe: "passei cinco anos sabendo que isso ia acontecer, e na hora que aconteceu, foi tão de repente..."
É assim...de repente. Você sabia o que tinha de fazer, teve tempo de preparar tudo, mas "Não agora! Espera porque eu não disse tudo. Espera que eu tenho mais um carinho, mais uma palavra, mais um segundo..."
De uma hora para outra, aquela pessoa forte, poderosa, sabe aquela? Ficou minúscula, pequenininha, com vontade de pedir colo. Mas não dá tempo, sabia? Só dá pra ser criança quando ninguém precisa da gente, e este é um dia que eu nunca vou ter. Sempre alguém estará precisando de mim e eu tenho de estar inteira. "Hey! Devolve meus cacos, porque alguém está mais quebrado do que eu!"
Quando eu tinha uns vinte e poucos anos e achava que sabia tudo, fui a uma astróloga. Esqueci quase tudo o que ela disse, é claro, com excessão de duas coisas que me marcaram bastante:
1. Os sagitarianos são o seu chão. Toda vez que a vida estiver fora do rumo, um sagitariano virá mostrar que voce está viva e levá-la de volta ao caminho certo, mesmo que pelo atalho mais penoso. Ela disse uma outra coisa sobre eles também, mas não cabe nesse texto.
2. Voce parece forte. Voce é forte. Voce não precisa de ninguém e todo mundo sabe disso. Por isso, voce vai passar os piores momentos da vida sozinha.

Verdade 1 e verdade 2. Dessa vez eu não fiquei sozinha. Não sozinha nesse sentido comum...só o meu sofrimento que foi meio solitário. Eu não podia chorar um monte e mostrar que ainda sou a narigueta do pai, porque havia pessoas muito mais frágeis precisando de colo. Ao mesmo tempo, minha filha se recuperava de uma cirurgia grande e meu marido teve um treco e eu achei, por eternos 40 segundos, que ele fosse morrer também. Não seria justo...juro que não seria justo!

Então como? Me diz, como? Tive que engolir o choro e seguir em frente. É bom...é...mas é ruim, porque neste momento eu me sinto quebrada. Faltam pedaços e eu estou vendo a fresta deixada por eles. Está difícil escrever, está difícil me organizar, está difícil trabalhar...ao mesmo tempo eu não paro, não sento, não leio, não vejo TV, não relaxo. Passo o dia fazendo coisas que não preciso fazer, sem parar um minuto, até cansar e dormir - o que só acontece depois das três da manhã.
Eu queria sentar e chorar por horas para poder acabar com isso e voltar, inteira, para vida que estou fingindo não ver.

Thanks for listening.

Mg

17 comentários:

Alice Salles disse...

"Voce não precisa de ninguém e todo mundo sabe disso. Por isso, voce vai passar os piores momentos da vida sozinha." Bom, eu entendo isso muito bem porque sempre fui a base de todo mundo, de um monte de amigo, ex namorado, mãe, irmão e que por nenhum segundo poderia parecer que estava "mal". NUNCA! No meu caso, quando perdi meu pai levei um tempo pra poder ME PERMITIR ver o mundo sem ele pra que ninguem, absolutamente NINGUEM ficasse na minha cola e percebesse o que eu sentia... Ah Mer.. eu sei como é....

Muitos e muitos beijos pra você...

Mercedes disse...

Obrigada Laice.
Eu conheço a sua vocação para "sustentáculo emocional".
Será que é por isso que a gente vive com a cabeça na lua, pensando merda e inventando histórias? Um scape?

Hmmm...makes sense...

Beijoca

Lee Swain disse...

Mercedoca,
vc tem razão, a gente nunca está preparado para perder nossas raízes. Mas a verdade é que nunca as perdemos, somos o que somos graças a elas, a materializaçao de sua continuidade. Seu pai vive em você, mais do que vc possa imaginar. Assim sendo, pode chorar quanto quiser, mas apenas para sentí-lo mais próximo de você. Te gosto muito.

Perin disse...

Faz assim. Pega um filme bem triste, tipo "Pontes de Madison" e veja sozinha, chore baldes e baldes. Vc vai ver que melhora.
Vou te contar uma coisa, meu pai já não está aqui há 20 anos e parece que ele nunca foi embora, lembro dele como se o tivesse visto ontem...as últimas linhas foram bem piegas, mas é assim mesmo que acontece. Lov u

Alexandre disse...

Espero que consiga superar esses "quebrados" e retome o curso normal da vida. Esquecer é impossível, mas superar não... Paz e Luz, Mercedes...

Clélia Fagundes disse...

Eu sei bem o que vc ta dizendo....o forte sexo frágil....Mercedes....vc jáse permitiu gritar e pedir: QUERO COLOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO....HELP ME, PLEASE! bjs

Cassinha linda!!! disse...

Olá,

aprendi que quando não podemos voltar então a única maneira é seguir sempre em frente.
Quando quiser morrer de chorar... CHORE! Mais chore somente até às dez para que dez e um você ponha seu pijama e dez e dois você esteja descansando e pensando em você.
Não queira nada que não seja seu e não prometa nada que você sabe que não será capaz de dar.
Acredite que exista um plano maior!!
E dificil, mais se privar e fingir não há problemas não adiantará muito, ao contráriio.
Faça uma oração e peça para aquilo de você acredita, (não importando o que seja, desde que tenha fé) forças.
Às únicas coisas que percebi que você precisa são:
* determinação
e
*um pouco mais de vontade, o resto meu anjo... agente ganha com o tempo... só não pode demorar muito para se decidir.
"Ou você levanta e abre a janela para ver o sol, ou você penará no escuro para o resto de seus dias"
O que você quer???
Deus lhe abençõe!

Cassinha linda!!! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mercedes Gameiro disse...

Uh? Obrigada Cassinha, mas eu não sou mesmo o tipo de pessoa que fica no escuro mais do que 12 horas - enquanto dorme. Aliás, não durmo mais do que 5.
Eu perdi meu pai. Isso me entristeceu e me tirou o chão. Não há texto de auto-ajuda que vá melhorar isso.
Agora...quanto a seguir em frente, levantar e blablabla...não se preocupe...eu já fiz faz tempo.

Sobre as coisas que você "percebeu", sorry...só posso rir e te agradecer pela boa vontade. E sugerir que você olhe mais de perto, porque sua percepção não é boa.

:)

Cassinha linda!!! disse...

Ok. Certamente você verá que minha percepção é boa sim, mais a sua maneira de ver a vida é desastradora.

Mercedes disse...

Cassinha


Não acho legal você vir fazer críticas justamente no texto em que eu desabafo o meu sofrimento pela morte do meu pai. Não achei apropriado.
E confesso que acho um saco toda essa balela de frases feitas que parecem copiadas de um livro ruim. Mais sacal ainda eu acho alguém que vem analisar e apontar "as duas únicas coisas que você precisa"...e ainda chutar errado.

Quer saber do que eu preciso agora? Paz de espírito. Pra isso, preciso saber que a minha mãe vai ficar bem. Preciso arrumar um apartamento pra ela se mudar. Preciso saber se ela tem grana pra tudo o que precisa agora que é sozinha. Preciso encurtar a distância entre Curitiba e São Paulo para estar mais perto dela. Preciso saber que minha irmã do meio melhorou, porque ela foi quem ficou mais fragilizada. Preciso saber que a cirurgia da minha filha deu certo, que a carreira do meu filho vai deslanchar e que meu marido não vai ter mais um problema como o que ele teve na semana da morte do meu pai. Preciso saber que uma outra pessoa da familia que deixou a depressão tomar conta, está se tratando decentemente e vai conseguir sair do buraco. Preciso qe minha mão permaneça na dela para que ela não caia mais fundo.
Fora isso, Cassinha...eu só preciso viver a minha vida, que é abençoada de amigos, alegrias e momentos bons...e escrever, que é o que eu sei e gosto de fazer.


P.S. Inventa um nome menos infantil, talvez mais verdadeiro, porque esse chega a ser irritante.

Next??

m. disse...

oi me,

...um bom silêncio (especialmente acompanhado de abraço apertado) sempre me parece o mais (adequado?) útil nesse (unfortunate) tipo de ocasião.

as 'frases-feitas' são meio... hmmm... 'delicate stabs' que a gente ainda se sente na estúpida obrigação de agradecer pela gentileza.

quanto à cassinha... OMFG!

beijos
m.

fun P.S. sua exceção com ss doeu!

Clélia Fagundes disse...

Mercedes!
"desastradora?!?" como isso é possivel criatura??????
rs...rs...rs...

saudades de vc...
bjssss

Mercedes disse...

OMG Marquito!!! Excessão deve ser MUITO excesso! hahaha Sorry...mas não vou arrumar agora não. :)

Quanto às frases feitas essas a que você se refere, elas são bem intencionadas. Eu me referia às frases da Cassinha, copiadas de algum power point mal feito com musica chata. (I'm mean!)

Beijoca

C. Garofani disse...

eu sou sagitariana. e a promessa da sopa permanece.
e de ouvido, de colo e de tudo que precisar.

Mercedes Gameiro disse...

Você vai pesquisando receita de sopa porque eu sou chata. :)

Obrigada, Caroleti...
Amo!

patriciazanicotti disse...

Oi Met
Li só agora este teu texto...
Você anda sumida da internet, ou eu ando, não sei.
Não sou boa para escrever, principalmente sobre sentimentos e neste momento.
Seu texto está lindo, perfeito e diz muito bem como foi difícil, é difícil e continua sendo difícil.
A vida continua, claro, mas ficou uma fresta, como diz você. Uma fresta grande.
Sou sagitariana, ahahahah e neste momento, não consegui ser apoio pra ninguém, nem pra mim.
Mas de qualquer forma, o que eu realmente quero é estar perto da mãe, a Bia, de você e do Ricardo e da família de cada um de nós. Perto mesmo de longe como vivemos hoje.(ironia da vida).
Eu estou bem, mas muito triste...muito mesmo... Sei que vai passar e não paro nada por isso.
Admiro você, te amo de verdade e vamos superar, e lembrar de tantas coisas lindas e boas que sempre vivemos com o pai e com a mãe com mais tranquilidade.
Um beijo bem grande
Pat