segunda-feira, junho 02, 2008

Ai, meu saquinho!

Então hoje é dia não!
Desde antes de eu acordar uma nuvenzinha preta resolveu estacionar acima da minha cabeça. Já a cama estava estranha...coberta embolada, meio frio meio calor, roupa que incomoda, barulhos não sei de onde...levantei!
Sentei para tomar café com a boa vontade de quem vai ao banco. Já olhei para o meu prato de saco cheio do regime...ahmeudeus! Sete meses comendo ovo no café da manhã? Uma gema e duas claras. Hoje frito, amanhã mexido, depois omelete e eu não aguento mais olhar pra cara do ovo! Aguenta Me, que 12 kilos são 12 kilos e se você se livrar de mais 5, volta a ser a velha e boa Mercedes, que era mais boa do que velha. Ai meu saquinho! Peguei o celular e pensei duas vezes se devia apertar aquele envelopinho que me leva aos e-mails. Apostei com o meu mau humor que se apertasse encontraria os seguintes e-mails:
.Promoção de inverno da Zelo
.Sitemeter pra contar quem entrou nesse blog
.Uns três "replica watches" vendendo relógio falso
.Pelo menos um anúncio de pinto grande. Oops...não...de aumentar pinto pra quem tem pinto pequeno.
.Talvez um Smiles, talvez um Tam, talvez um Apple Store, Amazon, Submarino, essas coisas.
Apertei. Bingo! Não havia nada que viesse de um ser humano de verdade.

Olhei para o jornal com a mesma atenção que se da à conversa com um vizinho...uma página "ah...", vira a página "um-hum", ilustrada "sei...", fechei o jornal como abri e olhei pra lugar nenhum. Assim também olhei para a minha empregada. Assim também para a minha cara no espelho do banheiro. "Oi, eu sou Mercedes e estou sentindo que meus pés estão tocando um buraco negro. Serei sugada?" Eis a questão!
Depois sentei aqui, ainda de pijama, abri o Word e deixei meus dedos se divertirem às minhas custas. E não há de ver que eles escreveram sobre mim? Não há de ver que o que eles escreveram era tão pesado que eu tive que salvar naquela pasta escondida, sabe aquela? Ah....vocês não sabem isso! Eu tenho uma pasta secreta. Ela está no lugar mais imbecil possível com um nome imbecil. Dentro dela tem outra pasta com outro nome imbecil, que tem outra com outro nome imbecil. São muitas e muitas pastas em número suficiente para fazer curioso desistir, até chegar "NA" pasta. E se você conseguir chegar nela, cuidado! Está muito longe de encontrar um tesouro...muito muito longe. Abrir documentos ali pode causar danos irreversíveis. Para você ter uma idéia, o nome da pasta é Lixo Atômico! Sério...altíssimo risco de contaminação.

Well, passado isso, percebi que estou questionando tudo, lembrando fatos terríveis, lembrando frases que eu gostaria de não ter ouvido, cenas que eu gostaria de não ter vivido, analisando as consequências delas todas e... ai meu saquinho! Odeio! Aí eu me olho de novo e pergunto para aquela mocréia despenteada no espelho: "Amiga....fofa...sabe por que eu não faço terapia de regressão? Porque eu não fucking quero lembrar essas fucking coisas!"
E fora isso tem as perguntas existenciais aquelas: o que faz a minha empregada guardar livro na estante de cabeça para baixo? E por que o meu hidratante migra para outro armário todo dia? E por que o queijo está na mesa dentro de um tapeware? eu vou levar pra algum lugar? E por que ao meio dia a sala ainda não está arrumada? E por que os papéis que eu separei estão todos empilhados? E por que o armário do Claudio é mais arrumado que o meu? E por que eu não gosto mais tanto de café? E por que eu estou ficando míope? E por que o meu dicionário ta insistindo que úmido é com H? ...

Aí chega. O jeito é rezar para que o sol apareça e tire a umidade do meu cérebro. Acho que vem do frio essa nuvenzinha irritante...


5 comentários:

C. Garofani disse...

Spotlight search > Lixo Atômico.

Ooops...

Mercedes Gameiro disse...

Hahahhha! dream on!

C. Garofani disse...

Juro que eu consigo achar, mesmo o nome da pasta nao sendo esse.

Mas acho que eu nao ia querer ler nada. Tenho medo! Hahahaa.

Mercedes Gameiro disse...

Be afraid!!!
E acha não...Mas let's NOT começar um concurso de quem acha, por favor, porque eu não quero deletar a pasta. Um dia ela pode ser útil.

Flavia Melissa disse...

Hahahaha
O bom de gente com a gente é que fica melhor quando está de mau humor.
Amo!