sábado, abril 09, 2011

_dois pesos

.
Quem é mesmo você para julgar alguém? Vamos ser sinceros, assim...sinceros de verdade? Quer brincar?
Então presta atenção. Você acha que a sua amiga não educa os filhos direito, que está criando monstros sem limites, que não sabe dizer não, que parece ter medo dos filhos e tal? E você, tem filhos? Se tem, você tem tempo para educá-los de fato ou deixa isso para a escola, a avó, a empregada, e assume à noite e nos finais de semana? Você tem certeza que seus filhos, fora de casa, são exatamente como quando estão com você? Tem certeza que os outros acham seus filhos super normais e educados como você acha?
Não. Você nunca vai saber a resposta, porque ninguém vai reclamar dos seus filhos para você. Só a escola. Talvez. Caso seus monstrinhos sejam interessantes, porque se forem mal educados porém mortinhos, a professora não vai reparar muito neles, sabe? Desculpa, mas é verdade.

E a filha gay daquele seu conhecido? Aquela que você diz que a culpa é dos pais. Você tem certeza absoluta que sabe o futuro dos seus filhos? Você acha mesmo que a “opção” (ninguém opta por ser gay) da menina, é fruto da educação que teve? Então amiguinho... prepare-se para se surpreender.
Sabe, a vida não é fácil. Na verdade é, mas o que complica são as expectativas irreais que as pessoas criam. Seus filhos serão profissionais de sucesso? Serão corretos? Serão honestos? Ser hétero está na sua lista de “elogios”?
Eu tenho uma surpresinha pra você. Senta aí:
A vida é imprevisível. Mesmo cagando regras, tendo convicções fortíssimas, mesmo regendo sua família com punhos de aço e livros de psicologia embaixo do braço, você não sabe o que o futuro reserva para ela...nem para você.
Reviravoltas não acontecem com macacos e girafas no reino de Simba. Só acontecem com humanos, aqui mesmo na cidade grande, ou naquela menor. Acorda, Alice!
Eu não estou livre de ser traída, de ser trocada por uma gostosinha de 25 anos que acabou de sair da faculdade de cinema e acha Mr. Director “bárbaro” (sim, elas aprendem a falar bárbaro nas faculdades de cinema). Você não está livre de ser trocado por um garotão, nem por um velho pavoroso que você não entende como, meu deus, como?! Você mesmo pode se apaixonar, ou trair sua mulher numa escapadinha inocente, e ser pego. E você sabe: não existe traição na ignorância, longe dos olhos longe do coração, blablabla, mas quando te pegam...ai ai ai.

A gente não sabe se nossos filhos serão gays, se casarão com uma mocréia rancorosa, ou um mal caráter interesseiro. Se vamos sofrer um acidente, parar numa cadeira de rodas e precisar daquela vaga no mercado - aquela onde você estacionava “só um minutinho” e aquele aleijado que espere.
A gente não sabe se vai ter três derrames, virar um semi-vegetal e ser cuidado justamente pelo marido pobrinho e “meio encardido” da filha...aquele loser que a gente julgou e falou mal a vida inteira.
Vai que, na velhice, acaba dividindo o quarto com a sogra da filha? Aquela mulher pedante, brega que usa perfume doce, e vai acabar sendo sua melhor amiga. Também tem a hipótese de engordar 40 quilos por causa de uma disfunção hormonal e ficar igualzinha àquela vizinha “porca” que não se cuidava e era uma “baleia”, lembra?
Então... desculpa incomodar a essa altura das suas certezas, mas acho que você não devia nem guardar seus julgamentos para si mesmo: devia descartá-los. Varrer todos eles. Deixar de ter LAMA por dentro e, finalmente, ter ALMA - é só trocar uma letrinha de lugar.
Uma vez ouvi uma frase que adotei para sempre: quando você aponta um dedo, outros três estão apontando para você. Tenta aí...aponta e olha para a sua mão.
É bom lembrar que a lingua é o chicote da bunda e a vida, como dizia Gump, o Forrest, é como uma caixa de bombons: a gente nunca sabe o que tem dentro deles. Não tem nada mais feio do que ter dois pesos e duas medidas: se é feio na casa dos outros, é feio na sua. Ponto. Então é melhor não arriscar: senão por ética, ao menos por precaução, fecha essa boca.

Beijo.

11 comentários:

Fernando disse...

visitei, li, gostei. Tá bão assim?

Mercedes Gameiro disse...

Tá!! \o/

Edilene Ruth disse...

Quanta verdade no seu post.
Demorou pra postar, mas quando veio tirar as teias de aranha arrasou como sempre.
Beijo sua linda
Edilene

heller disse...

é o q eu sempre digo, nunca se sabe o dia de amanha...

Mercedes Gameiro disse...

É, Hell...esse é um daqueles casos onde milhares de frases feitas cabem: o mundo é redondo, a língua é o chicote da bunda, toda onça tem seu dia de tapete, macaco olha o próprio rabo, quem tem telhado de vidro...e por aí vai.
Mas nem por isso as pessoas levam a vida como quem já decorou todas elas.
ne?

:)

@pepelona disse...

Adorei, Mercedita. E dá medinho, né?

Beijos.

Pedro Rocha disse...

Sumiu. Voltou. E arrasou.
Parece que fomos treinados pra observar e consertar o que está "errado" na vida alheia. O fato é que a casa do vizinho não pareceria tão suja se a nossa janela não estivesse tão embaçada.

Pronto, mais um texto incrível!

Beijo saudoso.

kelly marciano disse...

acho que o tempo todo a gente tem que lutar pra não usar dois pesos, duas medidas. nosso "estado natural" não é bom, nem bonito. é preciso se policiar o tempo todo.

Mari Migliacci disse...

É, todo mundo tem muitos dedos apontados para o outro, julgando, categorizando, infernizando. É só sentar e esperar sua casa passar na sua frente novamente, porque o mundo é redondinho mesmo, por mais manjado que isso possa vir a ser, e é, mas também é uma verdade comprovada.
Beijos!

patricia disse...

Adorei!!

CaH disse...

Nossa, como você consegue mandar super bem assim? Sou sua fã *_*