sábado, setembro 12, 2009

Hoje

Era fim de tarde. Aquela hora que o sol invade a minha casa toda branca e ela empresta as cores do paraíso. Sei lá por que, eu comecei a andar pela casa e observar coisas que, daqui da minha cadeira, eu acabo esquecendo de olhar.
Fui para o jardim e descobri que as arecas cresceram muito. Eram minúsculas e mal cumpriam a função de separar o que de direito, mas hoje tomam tanto espaço que cobrem metade da casa. As alfazemas estão floridas e espalham um cheiro delicioso pelo jardim.
Passei pelo Charlie - um sapo/príncipe que aparece quando chove e tem que ser salvo da piscina quase todos os dias - e descobri novos desenhos nas costas dele. Um gato dormia na espreguiçadeira, outro na cadeira da varanda, outro jogado no terraço com as pernas caídas para fora; enquanto a Mini se esfregava nas alfazemas como se quisesse se perfumar.
Voltei para a sala desenhada pelo sol, sorri vendo as rosas que coloquei na mesa hoje...meus sofás, os livros na mesa de centro, as gordas na lareira, o tapete que eu gosto, minha Marilyn em cima do piano. Até toquei piano, como se eu fosse capaz.
Olhando a varanda lembrei do meu pai sentado ali, lendo jornal, esperando o dia passar e chorei. Me dei conta de que já vivi muita coisa nessa casa e gosto demais de pensar em todas elas...
Existem esses momentos em que a vida pára para eu poder relembrar como cada coisa foi parar onde está - eu inclusive.

Quando minha excursão terminou, eu estava sorrindo, meio emocionada, meio maravilhada com a vida que eu tenho. Não pelas coisas grandes, mas pelos detalhes. Por essa satisfação gratuita, essa felicidade boba, essa alegria que, mesmo nos dias tristes, caminha comigo.

Charlie

Era só.

Bom dia.

10 comentários:

marcos freitas disse...

que delícia!
me gusta!
bjs

Marília Lopes disse...

Tudooo lindo!!!
Menos o sapo!!hahahahahha
So de ve-lo eu to arrepiada de medo!!!
Beijoooo

Anônimo disse...

o mundo devia aprender com sapos e nao princepes....

tudo tao lindo....bjsss, van!

heller disse...

eu adoro passear pelo quintal aqui da minha mae, pegar laranjas e fazer suco, ver como ta o pé de ameixa, as jabuticabas, os maracujás, se a greta nao acabou com a espada de são jorge q eu plantei na frente da minha janela do quarto... tempo q nao tenho tempo pra isso... ou q o tempo, a chuva, deixa... hehehehhe

Waldir Moreira Jr. disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK! Depois de ler seu texto no qual diz que sua vida é composta de várias fábulas, dá pra entender o motivo de possuir um sapo como bichinho de estimação. Sorry, mas, a piada era inevitável.
E, continuando mordaz, você não teria mascado sementes de sua areca, em algum momento? Mercedes, você é ótima e apenas achei que deveria fazer-te rir, pois achei-a meio 'cinzenta' nesse dia, ok? Bjs

Mercedes disse...

Waldir,

Relaxa...eu não masquei semente de areca..nem tomei chá de cogumelo. Mas alguma coisa aconteceu, sem dúvida, que eu nasci assim meio chapada. haahaha!

Você vai ver dias cor-de-rosinhas, você vai ver dias cinzentos e outros negros. Isso sou eu...não tem como mudar.
Benvindo ao meu mundinho.

Beijo

Clelia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Clelia disse...

Outro dia fiquei pensando por onde será que ela anda....moro por aqui há 10 anos e NUNCA...NUNCA...vi essa mulher no supermercado, na padaria, nas lojinhas do centro comercial....nem passando na rua de carro...e isso muito me intrigou....
Agora lendo este texto....eu sorri....imaginando o REINO DE MERCEDES....

Não sei se isto que escrevi tem a ver com o texto que vc escreveu....mas foi o que me deu vontade de escrever....

saudades de vc!
bjsssss

Anônimo disse...

"relembrando como cada coisa foi parar onde esta, inclusive eu"
Gostei dessa frase.
Genial!
Fazia tempo que não te visitava, meus parabéns atrasados pelo niver.
Foi agradável a visita.
Beijos
Luiz

ROCHA disse...

Fotogênico, o Charlie...